Quem sou eu

Minha foto
Sou Profissional da área da Segurança Pública, Graduado em Gestão de Segurança Privada e Gestão em Segurança Pública. Meu objetivo é interagir e compartilhar conhecimento.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Supervisor de Segurança

SUPERVISÃO

Dá-se o nome de supervisão à ação de orientação, inspeção e controle que assegure a perfeita compreensão de diretrizes, normas, ordens e instruções emanadas de escalão superior. É uma atividade dinâmica, exercida com vista ao desempenho do vigilante aplicado isoladamente ou em grupo. Tem por finalidade fiscalizar, orientar e esclarecer, bem como controlar a atividade e servir como elo entre o elemento executante e o cliente. Dentro de empresas de vigilância ou em instalações que disponham de suas próprias estruturas orgânicas, a atividade de supervisão reveste-se de inquestionável importância. São os supervisores os principais responsáveis pela boa e eficiente execução cotidiana das tarefas de vigilância e segurança das edificações, bens móveis e proteção das vidas daqueles postos sob a guarda das equipes de profissionais que dirigem, orientam e inspecionam.
Observando diferentes empresas de vigilância constatamos que a denominação de Supervisor acaba sendo utilizada para definir os responsáveis por uma razoável variedade de atividades. Aquele profissional responsável por constatar a apresentação pessoal, asseio, assiduidade, pontualidade, condição de armas, equipamentos e ocorrências em diversos postos de serviço recebe denominações de Supervisor, Supervisor Itinerante ou Fiscal de Área, de acordo com a nomenclatura adotada pela empresa onde trabalhe. Em algumas instituições o encarregado de exercer função de chefia localizada em postos de serviço importantes, onde haja considerável contingente de vigilantes, recebe a denominação de Supervisor. Em outras é chamado de Coordenador, Encarregado ou Monitor. Mais importante do que nos prendermos às diferentes denominações é preciso observar as missões que, quase obrigatoriamente, cabe ao supervisor desempenhar.
A atividade de supervisão envolve-se diretamente com a prestação dos serviços, a “administração” da vigilância nos postos, o estabelecimento de normas, treinamento, adestramento e aferição da satisfação do cliente em relação aos serviços prestados. Não se deve confundir as missões do supervisor com as de um feitor ou de um capataz. O supervisor tem de se preocupar obrigatoriamente com os resultados do trabalho, mas segundo os conceitos de qualidade vigentes, deve esmerar-se para que resultados cada vez melhores sejam sempre atingidos. Trata-se de uma sensível mudança na direção da tão buscada Qualidade Total.
O supervisor de segurança deve ser capaz de mostrar aos seus supervisionados que a atividade de segurança é excepcionalmente importante. Trata-se de um sério esforço de caráter educativo, não apenas no sentido do aperfeiçoamento técnico do serviço de vigilância, mas no sentido de fazer brotar nos executores (os quais muitas vezes não dão a devida importância à atividade que executam) novos valores. Deve estimular sentimentos de profissionalismo e busca da perfeição no que se faz, inspirando o devido respeito por quem desempenha uma atividade de alto risco e o reconhecimento da necessidade do que está sendo realizado.

SÃO DEVERES ATRIBUÍDOS AOS SUPERVISORES:

  • Conhecer profundamente a sua atividade, buscando constante aperfeiçoamento e atualização técnica;
  • Conhecer seus supervisionados preocupar-se com o seu bem estar e tratá-los com dignidade e respeito;
  • Verificar sempre se as ordens foram bem compreendidas, executadas e fiscalizadas;
  • Desenvolver o profissionalismo e o espírito de equipe;
  • Decidir com acerto e oportunidade;
  • Inspirar a responsabilidade, o respeito e a confiança nos supervisionados;
  • Empregar a equipe com critério, não exigindo aquilo que esteja acima da capacidade da equipe;
  • Exercer controle sobre os efetivos dos postos de serviço sob sua direta supervisão;
  • Verificar as condições gerais de serviço nos postos;
  • Manter cadastro completo e atualizado dos postos de serviço sob sua supervisão/fiscalização, onde constem informações como: nome e endereço completo do posto, telefones do posto, nome e telefone dos responsáveis com quem se deva comunicar em caso de emergência, nome dos funcionários da segurança, discriminação da quantidade, tipo e n.º de série do armamento, quantidade de munição, discriminação dos demais equipamentos existentes no posto de serviço bem como quaisquer outras observações julgadas oportunas;
  • Verificar diariamente, a apresentação pessoal, assiduidade e pontualidade do efetivo;
  • Inspecionar os serviços prestados;
  • Desenvolver sumária análise dos riscos de segurança dos postos de serviço, dispor os efetivos de segurança em suas posições, instruindo-os acerca de como deverão atuar rotineiramente e nas situações emergenciais, criando, quando for o caso, normas de procedimento voltadas para a atuação nesses casos específicos;
  • Fazer cumprir as ordens de serviço de cada posto;
  • Treinar e arguir os vigilantes, se possível diariamente, sobre as ordens de serviço (seu conhecimento e cumprimento) e quaisquer procedimentos pertinentes à segurança do posto de serviço;
  • Manter nos locais de serviço arquivos atualizados contendo as ordens de serviço, manuais técnicos, ofícios ou comunicações emitidas ou recebidas, livros de registro e ocorrências, bem como planilhas de controle diversas;
  • Convocar periódicas reuniões com o efetivo sob sua supervisão a fim de avaliar o desempenho dos membros da equipe, analisar suas sugestões, fazer críticas, revisar procedimentos e instituir novas rotinas de trabalho;
  • Preparar notas de instrução, organizar murais ou qualquer outra forma de disseminar informação técnica;
  • Tratar a todos com urbanidade, não transigindo na disciplina, no cumprimento das ordens de serviço e em quaisquer falhas motivadas pela indolência, negligência ou má fé;
  • Sempre que houver substituição de vigilantes ou agentes nos postos de serviço, despender o tempo necessário para orientar os substitutos;
  • Desenvolver uma política de conscientização dos demais empregados da necessidade de cooperação com a segurança, mostrando os benefícios que todos podem colher com tal atitude;
  • Verificar o estado de conservação e funcionamento do armamento, munições e equipamentos existentes, comunicando de imediato as irregularidades;
  • Representar a empresa de segurança contratada (quando for o caso) junto aos clientes, buscando antecipar-se aos eventuais problemas, apresentando soluções para aqueles de sua alçada, independentemente do auxílio de seus coordenadores ou gerentes responsáveis; e
  • Ao registrar qualquer ocorrência operacional, utilizar formulário apropriado (ou, em sua falta, fazê-lo por meio de relatório), procurando seguir todas as orientações da chefia na sua redação. Procurar ser claro, preciso e minucioso no lançamento dos dados julgados importantes. Não esquecer que os registros de ocorrência e os relatórios são documentos com valor probatório e que alimentam o sistema de planejamento operacional da empresa.
A atividade deve caracterizar-se pelo respeito à dignidade humana. Deve levar em consideração a complexidade, diferenciação das possibilidades e limitação dos indivíduos sob o ponto de vista físico, intelectual e moral. Supervisor é aquele cuja autoridade emana do seu próprio exemplo, habilidade, conhecimento técnico da atividade desempenhada, capacidade de execução e se alicerça no elevado padrão de disciplina e eficiência que exige de si e de seus supervisionados.
Trata-se de profissional que consegue que seus supervisionados executem mesmo as tarefas mais difíceis, motivados muitas das vezes apenas pela admiração e confiança. A supervisão é a espinha dorsal do serviço de segurança e a empresa prestadora de serviço que negligenciá-la não sobreviverá por muito tempo em um mercado concorrido e cada vez mais voltado para a qualidade profissional e a satisfação do cliente.
Supervisionar, por fim, significa inspecionar, orientar, conferir, checar, dirigir e coordenar em plano superior. Mas isso não significa isolar-se do conjunto. Significa incluir-se no time, no grupo e fazê-lo funcionar como uma equipe. Significa ter a visão da sua organização, da sua missão e de seus valores, bem como incumbir-se de alcançar suas metas. Supervisionar significa incluir-se no processo com disciplina, espírito de equipe e firmeza de propósitos, em um esforço concentrado, organizado e coordenado, comprometido com a consciência do “zero erro”, buscando a qualidade do processo em execução.

10 comentários:

  1. adorei caracteristicas de cada funçao, se tiver como manda dicas por email agradeço.

    alexandrealfa10@gmail.com
    tenho 33 anos só trabalhei na área de segurança e hoje me encontro desempregado.

    ResponderExcluir
  2. Bom Companheiro, a minha dica é sempre está atualizando, ou seja, fazer curso de extensão, adquirir livros da área. Com um grande currículo de cursos, tenha certeza que irá está no campo de trabalho. Um grande abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  3. boa tarde.
    sem dúvida alguma que vcs no brasil estão bastante evoluídos a nível de segurança privada.
    Cá em portugal, nem por isso...
    por exemplo tentei encontrar algum tipo de livro que me ajude na supervisão e gestão dos meus homens e não consigo encontrar.
    tem ideia se existem livros desses? e onde os posso encontrar??

    parabéns pelo blog.

    qualquer ajuda podem deixar e-mail em jmatos.silva@sapo.pt

    obrigado

    ResponderExcluir
  4. Tem um site que irei passar

    http://www.sicurezzaeditora.com.br/

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. como faço chegar os livros cá a Portugal?
    obrigado pela ajuda.

    ResponderExcluir
  6. Entra em contato com a sicurezza para ver qual a disponibilidade para enviar até Portugal, pois esta empresa sicurezza não tenho relação nenhuma. Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do texto sobre supervisão. Você é o autor?
    Caso contrário, poderia fazer o favor de indicá-lo o autor para que eu pudesse fazer refer~encia no meu trabalho da graduação.
    Desde já grato,
    Atenciosamente
    Marcelo Ramos.

    ResponderExcluir
  8. Marcelo Ramos, não sou o Autor. Infelizmente o texto que consegui sobre o tema não tinha o nome do autor. No seu trabalho de graduação poderia colocar o link do blog como referencia. Obrigado

    ResponderExcluir
  9. SERVIÇOS PARA CUMPRIR PELOS CHEFES DE AREAS OU SUPERVISORES
    NO TRABALHO DIARIO

    1- Conhecer e controlar, todos os efectivos da sua área de acção, exigir o profissionalismo, a assiduidade, o aprumo, o asseio, e a prontidão dos vigilantes.
    2- Verificar a eficaz segurança da instalação, periferias vedações, iluminação, sistemas de água, sistemas de electricidade, extintores e outros meios de combate ao incêndio.
    3- Verificar a existência de projecto de normas e se esta cabalmente a ser cumprido.
    4- Verificar o aprumo, o asseio e a postura do pessoal em serviço.
    5- Verificar a assiduidade e disciplina.
    6- Cumprir com a escala de itinerários.
    7- Encaminhar as ocorrências.
    8- Contactar sempre que necessário com o cliente

    ResponderExcluir
  10. Olá td bem ?

    Estou precisando de um relatório de supervisão (Boletim de Supervisão), vc tem como me enviar, caso tenha ?

    Grato.

    Jorge Claudio
    jalgamaserv@gmail.com

    ResponderExcluir